• Kate Chang

ATUALIZAÇÃO #5 - Perspectivas dos Mercados da Moda Europeu e Chinês para os próximos 2 a 3 anos

Recentemente, recebi muitos e-mails de designers com quem somos parceiros e daqueles que gostariam de ser nossos parceiros, e também de fábricas que procuram juntar-se ao nosso projecto, expressando verdadeira preocupação e até desespero, perante a situação actual nos seus respectivos países - em Itália, França, Portugal e outros países europeus.


Eles disseram "é um pesadelo.... " e estes são "tempos sombrios..” nas suas cartas privadas para mim.


Peço imensa desculpa, devido às minhas restrições de tempo, não tenho sido capaz de responder a tantas cartas recebidas, só posso usar o método de actualização do nosso site para partilhar a nossa perspectiva e o meu ponto de vista com quem estiver interessado nestes tópicos, incluindo aqueles que estão em parceria connosco, ou apenas aqueles que poderiam se deparar com o nosso site. Naturalmente, tenho de deixar claro com seriedade que aquilo que escrevo pode não ser correcto; estas são as minhas análises e previsões, e não assumo responsabilidade legal por elas, apenas espero partilhar o meu ponto de vista com qualquer um dos que se possam interessar.


Recentemente li um artigo no Washington Post, de Bill Gates, no qual ele afirma muito claramente que acredita que, nos próximos 3 anos, a humanidade não poderá realmente confirmar uma solução para este surto do vírus (podem lê-lo aqui: Here are the innovations we need to reopen the economy). Bill Gates já teve, no passado, um historial muito preciso para as suas previsões; as previsões que fez há 20-30 anos, por exemplo, tornaram-se realidade e, como resultado, creio que há uma forte tendência para a precisão nas suas previsões.


Se a sua análise estiver correcta, então que tipo de mundo vamos enfrentar? Em particular, o que é que vamos enfrentar na indústria da moda?


Tenho de falar praticamente, e de forma objectiva, e dizer que o mundo, e claro que isso inclui a Europa, vai estar em muito mau estado durante bastante tempo; a razão é que o turismo quase se evaporou depois de este vírus nos ter atingido e, durante um período de tempo bastante significativo, as pessoas procurarão, o melhor que puderem, evitar viagens desnecessárias, porque terão medo de se infectar com o vírus. Isto é especialmente verdade para as populações asiáticas, em particular para os chineses, porque os seus hábitos culturais são mais conservadores e cautelosos. Por conseguinte, os acontecimentos que ocorrem durante a semana da moda também irão sofrer muito.


No passado, todos os anos, tinha um grande número de compradores asiáticos que vinham aos desfiles e iam à market week; vêm à Europa para comprar as últimas modas para as próximas épocas.


Eles trazem estas modas europeias para os seus países - incluindo, naturalmente, a China, o Japão, Hong Kong, Taiwan, Singapura e outras regiões e países da Ásia-Pacífica. Ao mesmo tempo, tem havido um número crescente de turistas que visitam as principais capitais de compras da Europa. A França recebeu 90 milhões de turistas no ano passado, a Itália recebeu 63 milhões de turistas, por exemplo, e entre esses números, em particular, uma grande percentagem de turistas vinha da Ásia, em particular, da China.


Estes turistas vieram para a Europa e não só acolheram os locais e a história, e admiraram a cultura e o modo de vida local, experimentaram a comida e as iguarias locais, absorvendo todas estas tradições e, ao mesmo tempo, compraram uma grande quantidade de moda local. Os turistas chineses gastaram 650 milhões de euros só na Itália no ano passado, por exemplo, só para colocar isto em perspectiva.


Mas depois de este vírus ter atingido o globo, estes turistas, estes compradores, a sua presença na Europa praticamente secou, e esta ausência repentina trará um impacto muito devastador à indústria europeia da moda e do turismo; a queda será tão acentuada, como a queda repentina de um penhasco.


Isto terá impacto em inúmeros hotéis, incluindo o AirBnB, e serviços de apartamentos; terá também um grande impacto na indústria da moda e, evidentemente, também na indústria de fabricação da moda, porque estes turistas irão desaparecer.


Por conseguinte, penso que, embora estejamos cheios de confiança no futuro do mercado europeu da moda, nestes 2-3 anos após o surto do vírus, se não conseguirmos determinar uma vacina ou um tratamento eficazes, a economia global, incluindo, evidentemente, a indústria da moda europeia, não terá outra alternativa senão lidar com este prolongado momento sombrio.


No entanto, as marcas maiores não devem ser tão afectadas; porque ainda podem crescer através das vendas on-line, do comércio electrónico e das vendas em ramos físicos na Ásia. O exemplo mais óbvio é que a partir de Março, se olharmos para os números de vendas de grandes grupos como a LVMH e a Kering, o seu crescimento de vendas voltou a aumentar na China e na Internet.


Gostaria de discutir aqui, em particular, a China. Creio que a resiliência destas grandes marcas, este crescimento explosivo num curto espaço de tempo, em particular, o valor recorde das vendas de um dia, de $2.7 milhões de dólares gerados numa das lojas Hermes em Guangzhou, na China, não podem ser explicados apenas pelos gastos de revanche (revenge spending) dos consumidores chineses que desejam consumir estas marcas após o encerramento, mas podem também ser atribuídos ao facto de estes consumidores saberem que, num futuro previsível, pelo menos durante um período de tempo bastante longo, não irão à Europa para viajar, pelo que só podem optar por consumir internamente, dentro do seu país. Na realidade, na China, o preço dos bens de luxo é, em termos gerais, muito mais elevado do que o preço desses mesmos bens de luxo na Europa, devido a impostos e outras razões. Assim, no passado, os chineses voavam para a Europa para comprar esses bens, cujo preço era muito inferior ao da China, e essa parte dessa diferença de preço cobria essencialmente as suas despesas de viagem para voar para a Europa. Assim, em vez de fazerem compras na China, preferiam voar para a Europa para comprar, porque não só podiam poupar no preço dos bens, como também vinham para uma viagem turística.


Mas agora, devido ao medo de serem infectados pelo vírus, muitas pessoas optarão por não voar mais para a Europa. Optam por comprar nos seus próprios países ou regiões, mesmo que esses produtos sejam muito mais caros do que os produtos de luxo que são vendidos na Europa. Esta é, creio eu, uma das principais razões por que assistimos a esta enorme explosão de vendas nas localizações nacionais de marcas de luxo na China, nas últimas semanas.


O resultado é que as marcas mais pequenas da Europa que confiaram nos desfiles de moda e nos showrooms para colocar os seus produtos nos mercados do Extremo Oriente e da China vão ser afectadas porque não têm uma forma directa de aceder a este mercado, nem têm força económica.


Acreditamos que este tipo de situação irá persistir por um longo período de tempo.


Para nós, isto trouxe de facto uma enorme oportunidade, e este ambiente é-nos muito favorável, porque um grande número de consumidores que normalmente teriam viajado para a Europa para fazer turismo e compras de moda todos os anos no passado, porque agora receiam a infecção pelo vírus, vão optar por comprar internamente, dando ao que já era o maior mercado de moda do mundo, um aumento ainda maior do poder de compra. Da nossa posição, podemos proporcionar a estes enormes números de consumidores que não têm qualquer possibilidade de vir fisicamente para a Europa, a oportunidade de estender os braços e tocar centenas de marcas europeias únicas, em cada estação, vamos bombardeá-los com dezenas de milhares de estilos únicos mas de alta qualidade, cada um com a sua própria personalidade, história e ponto de vista autêntico. Faremos o nosso maior esforço para proporcionar a estes consumidores uma experiência de moda de qualidade absolutamente superior.



Isto compensará o pesar e o anseio que sentem, uma vez que não podem viajar pessoalmente para a Europa. Acreditamos que, muito em breve, seremos a única plataforma na Ásia, especialmente na China, pelo menos por agora, que tem a capacidade de oferecer a centenas de milhões de consumidores a possibilidade de comprar simultaneamente a marcas de moda provenientes de França, Itália, Inglaterra, Espanha, Portugal e outros países, oferecendo dezenas de milhares de estilos em cada estação, desde vestuário a bolsas e sapatos, todos com personalidade distinta, design clássico europeu e a preços muito competitivos. Vamos simultaneamente mostrar aos consumidores, tanto online como offline, a arte destas excelentes marcas de pequena e média dimensão, para que os consumidores possam desfrutar, seleccionar e comprar.


Acreditamos que os consumidores asiáticos e chineses que amam apaixonadamente as marcas de moda europeias irão dar a estas marcas um abraço e apoio frenético e caloroso.


Ao mesmo tempo, gostaria de dizer às centenas de marcas que visitam este site todos os dias, que não importa se você entra no mercado chinês sozinho, ou connosco, ou com outro parceiro, neste momento, é a melhor altura para o fazer. O mercado da China e do Extremo Oriente é o campo de batalha do futuro, e é também o território virgem a ser desenvolvido para qualquer nova marca. Não se deve esperar pela recuperação do mercado europeu, porque o facto é que ninguém sabe, nestas circunstâncias, por quanto tempo esta situação irá persistir.


Esperamos também que mais marcas, e mais pessoas da indústria da moda, independentemente de trabalharem connosco ou não, entrem juntas no mercado chinês, porque quanto mais marcas entrarem, mais despertará o desejo de consumir no mercado.


Como tenho frequentemente partilhado aqui, qualquer marca pequena ou média, entrando sozinha na China sem um apoio financeiro muito forte, irá captar a atenção do mercado com muita dificuldade, mas quando è um grande número, um grande número de marcas a entrar no mercado, será como um jardim a transbordar de flora, irá entusiasmar o consumidor sem fim, e irá impulsionar este mercado para novas alturas, fazendo com que ele seja ainda mais entusiasta na sua procura de marcas de moda únicas, clássicas e de alta qualidade da Europa, e estas marcas tornar-se-ão cada vez mais influentes. Espero que todas as marcas de pequena e média dimensão, possam enfrentar este mercado da moda em rápido crescimento, e com grande paixão, entusiasmo e dinamismo, com plena propriedade da sua própria criatividade, juntar-se a este vasto mercado como parte daquela flora florida. Mais uma vez, espero sinceramente que qualquer marca, independentemente de estar a trabalhar connosco, ou a trabalhar com outra empresa, ou mesmo a aventurar-se sozinha no maior mercado de moda do mundo, e incluindo nós próprios, cada um de nós terá a oportunidade de melhorar e ganhar sucesso neste enorme mercado.


Muitas das cartas que recebi recentemente das nossas marcas parceiras também me encheram de confiança, antecipam, e prometem, apresentar e desencadear toda a sua força criativa e investir em novas ideias para este mercado na China, e na região envolvente, e estão a colocar um grande enfoque na criação para a nossa região e a torná-la um ponto focal principal para eles. Estou particularmente emocionada com uma carta que recebi de uma das nossas marcas parceiras, criada por um designer francês muito talentoso. Ele está à espera de um transplante de coração e é muito fraco. Infelizmente, também tem tido problemas nos rins e começou recentemente a fazer diálise. No entanto, na carta que me dirigiu ontem, manifestou que prosseguia com o seu pedido de trademark, apesar de ter recebido uma recusa do gabinete de marcas para um pedido anterior. Decidiu ainda alterar alguns aspectos do nome da marca e voltar a enviar o pedido com alterações. Fiquei profundamente tocada com o seu amor e paixão pela sua própria carreira e com a sua confiança em nós. Depois de ler a sua carta, fiquei completamente fora de mim, fiquei profundamente, profundamente emocionada por ele, e sentimos sinceramente o peso da nossa grande responsabilidade, e cheguei a compreender, que sobre os meus ombros está a esperança e a confiança inimaginável de todas as marcas que assinaram connosco. Isto também nos inspira muito a trabalharmos mais e a avançarmos com mais confiança. Vamos nos dedicar com grande entusiasmo e plenamente, com uma atitude de trabalho árduo, nunca descuidando, para avançar, e acredito que conseguiremos definitivamente alcançar o sucesso, e poderemos ajudar cada marca que é nossa parceira a ter a oportunidade de tornar realidade as suas esperanças e sonhos.


Acreditamos que chegaremos definitivamente às beiras do nosso sucesso.


A análise acima é apenas a minha opinião pessoal; quando qualquer leitor nosso possa ter o seu próprio julgamento sobre o que escrevi, creio que deve consultar especialistas, antes de formar a sua própria opinião sobre o mercado.


Melhores cumprimentos,

Kate Chang

CEO

Recent Posts

See All

ATUALIZAÇÃO #8 - 4 de agosto 2020

Neste mês de Agosto, a YMYX e a nossa equipa estarão em Milão para se encontrarem com cerca de 500 marcas e várias centenas de fábricas e...

goinghome.gif

© 2020 YMYX